REALIZA:

  • ACIR
  • ACIL
  • Ministerio de Turismo de Uruguay
  • Intendencia Departamental de Rivera
  • Prefeitura de Sant'Ana do Livramento
  • Sindilojas Livramento
  • CDL Sant'Ana do Livramento

o Festival

  O Festival de Enogastronomia está na sua 5ª edição e surgiu com o objetivo de valorizar as receitas, produtos e sabores locais, através de um conjunto de atividades que dão destaque para a produção de alimentos e bebidas da região. Trata-se de um evento onde os interessados podem trocar experiências em busca da divulgação da cultura alimentar da fronteira.

  Neste ano, o Festival incorpora o nome Fronteira, reforçando os laços com a cultura, culinária e envolvimento com Sant’Ana do Livramento e Rivera.

  O Fronteira - Festival de Enogastronomia ocorre de 6 a 18 de novembro de 2018.

Histórico

As Fronteiras são zonas nas quais se acumulam e se intensificam todas as relações vitais de interpretação, de contato e de oposição entre os elementos das sociedades políticas, econômicas, culturais e linguísticos permitindo a formação de uma identidade regional fronteiriça.

Se no passado as Fronteiras foram espaços de guerras e lutos, hoje a convivência, as trocas culturais e econômicas é o seu maior patrimônio. Lugares, como a Fronteira Livramento-Rivera, exemplos de fronteira-viva, deixaram de ser Fronteira de obstáculos, recebendo os benefícios da civilização moderna, passaram a se unir.

A Culinária faz parte desta regionalidade e permeia este espaço de fronteira. Hábitos alimentares, pratos, produtos e preparos estão presentes nos dois lados da fronteira Brasil e Uruguai, unidos por um bioma semelhante, o “Pampa”, uma ocupação territorial que girou em torno da pecuária e da indústria de transformação da carne.

A comida é o “alimento transformado pela cultura” e cada sociedade estabelece formas diferentes de preparo e estas refletem as práticas, os costumes e a memória de seus antepassados. A comida torna-se, então, depositária de uma “memória afetiva”, uma prática que passa de geração em geração e, ao ser preservada, mantém viva a

identidade de um povo.

A região da Fronteira possui uma culinária cuja base é a comida campeira, fruto do sincretismo do Gaucho, do missioneiro, do indígena e do africano. Essa miscigenação está presente nessa cultura alimentar e ajudou a criar pratos que se tornaram emblemáticos da culinária fronteiriça. O uso das carnes, de diferentes tipos, em assados na brasa ou preparações no fogão e seus acompanhamentos, traduzem a simplicidade, rusticidade e a singularidade desta gastronomia. Chimarrão ou mate, herança dos índios Guarani, que aproxima os dois países, produzindo calor humano e hospitalidade. É um forte símbolo da convivência nesta Fronteira de paz entre Brasil e Uruguai.

A produção Vitivinícola da região da Fronteira, Sant´Ana do Livramento e Rivera, devido à sua posição geográfica entre os paralelos 29’ e 31’, ao seu clima, com estações bem definidas, e características de solo semelhante a outras regiões  produtoras de vinhos do planeta, encontrou condições favoráveis de desenvolvimento.

A partir da década de 80 a primeira vinícola instalada na região passou a produzir vinhos para todo o mercado brasileiro. A Região Norte do Uruguai, com clima e solo dentro do mesmo bioma Pampa, também tem investido em vinhedos de qualidade, sendo o Tannat o seu produto reconhecido em concursos internacionais e que iniciou a produção vitivinícola do Uruguai em nível comercial. Atualmente Sant´Ana do Livramento e Rivera possuem 5 vinícolas, que investem em mais parreirais e tecnologia, com vinhos de excelente qualidade. Cenário em que se abrem novas oportunidades para o desenvolvimento do Enoturismo na região.

A Enogastronomia, ou seja, a arte de harmonizar vinhos e alimentos numa mesma refeição está ganhando cada vez mais interessados, que se dedicam a conhecer as características e os sabores dos vinhos e dos pratos. É todo um processo que envolve a escolha cuidadosa de um vinho tendo em conta as suas características gustativas e

olfativas, para acompanhar um determina prato tradicional, regional, entre outros.

O Comitê de Fronteira organizou um Calendário de Integração Cultural Brasil-Uruguai, com o objetivo de aproximar e integrar as duas Fronteiras, promovendo ações conjuntas, valorizando a riqueza cultural da região. Pensar a comida como um dos fatores de integração cultural Brasil-Uruguai, em especial nas cidades Sant'Ana do

Livramento e Rivera, foi uma das metas do projeto desenvolvido pelo comitê e denominado “Festival Binacional de Enogastronomia e Produto do Pampa” iniciado no ano de 2014.

O objetivo do Festival é valorizar a gastronomia regional e a produção vitivinícultura de Sant'Ana de Livramento e Rivera, através de ações de convivência, cooperação e intercâmbio, em parceria em parceria com agentes públicos, privados e demais setores da comunidade.

O investimento no Turismo Enogastronômico na região, através de ações como o Festival Binacional de Enogastronomia e Produtos do Pampa, ajuda transformar este importante destino turístico dos dois países, trazendo novos roteiros, além do já tradicional turismo de compras, e ampliando a permanência dos visitantes na fronteira.

Edições Anteriores

Edição 1

O Festival Binacional de Enogastronomia foi lançando em 2014 e contou com participação de mais de 40 Chefs de Cozinha do Brasil e do Uruguai, Universidades, Produtores e Vinícolas das duas cidades. 
 Aulas de Cozinha, mesas de debates sobre diversas temáticas relacionadas com a Gastronomia Regional, Turismo local e valorização dos produtos da fronteira, além de feira binacional da agricultura familiar.

Edição 2

A segunda Edição do Festival Binacional contou com a presença do Italiano Carlo Petrini, fundador e líder do Movimento Slow Food e de muitos alunos e professores de vários cursos de Gastronomia. 
Aulas de Cozinha, degustação Orientada de Vinhos Regionais, Chefs na escola, circuito de pratos e vinhos da fronteira, rodada de aproximação entre produtores e restaurantes, foram algumas das importantes ações dessa edição.

Edição 3

 A Terceira edição do Festival Binacional de Enogastronomia e Produtos do Pampa reafirmou o compromisso do evento,  com a recuperação e valorização do patrimônio cultural alimentar da Fronteira, através da mostra dos cadernos de receitas e degustação de pratos antigos, reunindo vários grupos de terceira idade das duas cidades. 
A valorização das Vinícolas locais foi outro ponto alto da programação, através do Circuito de Pratos e Vinhos da Fronteira  nos Restaurantes Locais, na primeira I Festa do Choripan e Vinho e nas Degustações   Orientadas de Vinhos.  

Os Seminários Binacionais de Alimentação  e Saúde e Alimentação Escolar foram ações importantíssimas para  consolidação  do festival como espaço de reflexão sobre os aspectos sociais relacionados à alimentação.
A Produção de Azeite de Oliva na Fronteira foi tema de duas importantes palestras com renomados técnicos do Brasil e do Uruguai nessa terceira edição.